Gastronomia de Jerusalém

A cozinha de Israel conta com a contribuição de Judeus nascidos em diversas partes do mundo. A gastronomia de Jerusalém é muito típica e diferente, mas muito agradável e com uma crescente procura na Europa.

Schnitzel e Spaetzel

Schnitzel e Spaetzel

Os judeus de origem Askenazí trouxeram para a cozinha israelita a sopa de frango, o Schnitzel e o puré, bem como saladas, como a salada de ovo, de maionese, saladas com fígado picado. Outros pratos incluem o Gefilte Fish (filete de pescado) e o Kugel de Jerusalém, podem ser considerados pratos originais de Israel. As primeiras confeitarias israelitas pertenciam a judeus Ashkenazi é a razão pela qual muitos dos mais populares bolos, como tortas e pastéis de Israel, procedem da Europa Central, estes incluem as variedades de Sufganiyá e Oznéi Amman (orelhas de Amman).

Os judeus originários do Norte da África trouxeram para a  cozinha israelita, O Cuscuz e o Mafrum que têm adquirido grande popularidade em Israel, e também introduziram a Shakshouka e vários tipos de saladas, como a  Matbucha, e a salada de zanahoria marroquina.

O Chraime, prato da cozinha Tripolitana, tem ganho popularidade nos últimos anos de forma similar ao Gefilte Fish.

Os judeus originários dos Balcãs trouxeram para a cozinha israelita as Burek (conhecido em Israel como Burekas), o iogurte e taramosalata. A cozinha de origem balcânica tem tido uma importante influência na cozinha de Jerusalém e na cozinha Tibetana.

Os judeus originários do Iraque não só contribuíram para a cozinha israelita com o Amba, o Kibbeh e o Sambusac, como também com as hortaliças ácidas. O Sabich é muito popular actualmente.

A cozinha Israelo-Mizrahi é similar à cozinha árabe destacando-se as carnes assadas, massas (doces e salgadas), pratos com arroz, verduras, pan pita e saladas.

Hummus, papas fritadas e salada é um conceito quase mitológico que descreve a variedade de adições que se inserem na pita, junto com a parte principal especialmente se se trata de falafel, shawarma ou carne assada. O uso das batatas fritas nestes pratos é exclusivo de Israel.

O Skhug introduzido pelos judeus yemenitas, a Harissa introduzida pelos judeus tunesinos e do Norte da África e a Pilpelchuma introduzida pelos judeus de Líbia, são todas diferentes versões do popular molho sobre a base de chiles e alho. O Skhug é o mais popular destes.

Pita, é  o chamado o pão nacional de Israel, popular devido a seu suave e agradável textura, e o facto de que permite comer saladas com a técnica de “limpar” as saladas com a pita.

Os canapés fritos, tal como o falafel, que consiste em bolinhos de grão-de-bico fritos, consumidos em pão sírio com hummus (pasta de grão-de-bico), tahine (pasta de gergelim) e salada. são os pratos mais populares entre os israelitas e actualmente já existem restaurantes que servem falafel em quatro sabores, o sabor original, o sésamo, sabor verde, e o sabor vermelho. Outros aperitivos fritos incluem o Kibbeh, cigarim, e pastelim que chegaram de diferentes países do Médio Oriente.

Carne assada é o que mais se come na cozinha de Israel. Os pratos que se criam desta maneira incluem o conhecido Kebab,  e Shashlik.

Shawarma chegou a Israel procedente de Turquia. O Shawarma é sumamente popular em Israel e comummente  realizado com carne de peru.

Desde a década de 90 até agora criaram-se muitos doces originais baseados no halva original. Halva é um doce de origem turca que se tornou popular entre os israelitas. O café negro com cardamomo (ou sem ele) também é muito popular.


 
Jerusalém

Viagem a Jerusalém...

Jerusalém fica rodeada pela África, Ásia e Europa.  A Terra Santa engloba Israel, a Palestina e partes da Jordânia...

Artigos relacionados

2 comentários para Gastronomia de Jerusalém

  1. Gabriela diz:

    adorei’ tudo oq eu precisava para o meu trabalho sobre o tema’

  2. admin diz:

    Obrigado Gabriela pelo teu comentário.
    Agora não te esqueças de fazer o teu próprio texto, senão o teu avaliador/professor, vai depreciar a tua nota 😉
    Bom trabalho!

Deixe um comentário